Visite nossa
loja virtual
 
 
06.Jul - Evangelho do Dia: Mateus 10,1-7
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
 
Evangelho

Jesus reuniu seus doze discípulos. Conferiu-lhes o poder de expulsar os espíritos imundos e de curar todo mal e toda enfermidade. Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro; depois André, seu irmão. Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão. Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu. Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor. Estes são os Doze que Jesus enviou em missão, após lhes ter dado as seguintes instruções: “Não ireis ao meio dos gentios nem entrareis em Samaria; ide antes às ovelhas que se perderam da casa de Israel. Por onde andardes, anunciai que o Reino dos Céus está próximo”.

Comentário

Como os apóstolos, também recebemos dons quando fomos batizados. Temos nas mãos um meio infalível para expulsar os demônios e curar todo mal: a oração. Todavia, é preciso que a nossa oração seja proferida com fé, com a confiança de filhos que amam seu Pai e que n’ele depositam toda a sua segurança. Essa entrega total a Deus quando rezamos é muito importante, porque nem sempre alcançamos
logo aquilo que pedimos, mas isso não nos deve fazer perder a firmeza no Senhor – ao contrário, deve nos ajudar a renovar todo o nosso
amor em sua providência. Em vez de sairmos da oração frustrados por parecer que o Senhor não nos atendeu, devemos aproveitar a oportunidade para nos entregarmos a ele, que sabe o que faz. Por isso, Nosso Senhor, quando rezava ao Pai, acrescentava: [Pai] todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres (Mt 26,39). Todos os nossos pedidos devem supor um ato de confiança total em Deus.